23 out

Bom negócio

Bom negócio

Terrenos comerciais no Swiss Park são excelente opção de investimento.
Mix comercial cresce a cada dia e comerciantes só têm a ganhar

Um dos pilares do Swiss Park é a conveniência. Desde que foi projetado, a ideia que os moradores tivessem tudo à mão, que pudessem ter serviços e comércios necessários ao dia a dia ao lado de casa, já era considerada essencial para os incorporadores. Dessa forma, desde o início, o complexo oferece aos seus moradores, na mesma “prateleira”, segurança, natureza, localização privilegiada e a conveniência de ter tudo o que se precisa às portas de casa.

Em todo o complexo, são 212 terrenos comerciais, além dos imóveis de grande porte que estão prontos para receber grandes empresas.

Em razão do crescimento da variedade de empreendimentos comerciais e de serviços disponível em todo o complexo, constata-se que investidores e empreendedores estão apostando no gigantesco potencial do bairro e de seus consumidores. Isso é comprovado nos mais de 60 empreendimentos em funcionamento atualmente, número que cresce a cada mês. Em 2018, o comércio do Swiss Park cresceu 70%. “E em 2019, tivemos um mês de agosto excelente nas vendas dos lotes comerciais. Mais investidores perceberam o crescimento e as possibilidades que um espaço comercial podem gerar.

Nossos números de setembro também foram positivos; a movimentação é crescente e fecharemos o ano com sucesso. Acredito que os clientes perceberam o momento de reação da economia e compreenderam ainda mais a importância do bairro”, diz José Bárbaro, diretor comercial da imobiliária própria do Swiss Park.

As avenidas Dermival Bernardes Siqueira, a mais longa do Swiss Park – com cerca de cinco quilômetros –, e Francisco Alfredo Junior são as que, hoje, mais abrigam comércios. E o diretor aponta que os espaços comerciais próximos dos residenciais Basel e Glarus serão, certamente, outros pontos que irão crescer nos próximos anos.

“Serão locais estratégicos, com grande circulação e que terão comércios de grande visibilidade”, acredita. Ele comenta que ainda existem opções oferecidas diretamente pela loteadora e que os valores são convidativos.

“Temos condições e preços que naturalmente vão mudar, com o aquecimento da economia; portanto, o momento é agora!”, comenta, otimista. Bárbaro conta que o metro quadrado de um terreno comercial padrão (de 360 metros quadrados) é comercializado por R$ 1.900,00.

De acordo com ele, esse é o valor praticado pela loteadora e há números bem maiores observados nas revendas. Quando o Swiss Park foi lançado, em 2006, o valor do metro quadrado de um terreno comercial do mesmo tamanho girava em torno de R$ 325,00.

O perfil do cliente atual é interessante, segundo ele: “temos investidores, sim. Mas a maioria quer montar um negócio e não apenas comprar para revender ou alugar; além disso, muitos são moradores do Swiss Park e querem ter seus negócios perto de suas casas”.

Sobre as condições de pagamento o diretor diz que são vantajosos e não há necessidade de comprovação de renda. Os planos de pagamento vão desde à vista com desconto até a opção de um sinal de 20% e o restante dividido em até 144 meses. E a incorporadora presenteia com a lavratura da escritura e do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI); apenas o registro em cartório fica por conta do cliente.

“Shopping a céu aberto”

Antes mesmo do prédio comercial do engenheiro André Rigoni ficar pronto, os espaços já estavam alugados. Atualmente, quatro comércios funcionam no prédio, que fica na Avenida Dermival Bernardes Siqueira, no Vevey, quase em frente da portaria do Genève: a loja se sapatos Luiza Melo, a La Merceria, a Única Pérola Esmalteria e o escritório de arquitetura Seber & Morais.

Rigoni foi visionário. “Logo que o Swiss Park foi lançado, adquiri o terreno comercial e também lotes residenciais no Vevey e no St. Moritz. Eu estou na lista dos primeiros investidores”, brinca.

Rigoni lembra que um conhecido empresário de Campinas, hoje falecido, apontou que o complexo seria um local de padrão diferenciado em Campinas e que quem investisse teria sucesso.

O engenheiro comenta que, de uns dois anos para cá, houve o que ele chama de “amadurecimento” da rede de comércio do Swiss Park. “Teremos uma escola em breve. E o complexo é, agora, um verdadeiro shopping a céu aberto, com a enorme vantagem de ter segurança para os comerciantes e clientes, que são exigentes e, por isso a necessidade de estrutura condizente, bons preços e qualidade”, afirma. Em agosto o engenheiro adquiriu mais um terreno comercial, no Basel, e está confiante. “Com os apartamentos que estão sendo finalizados o público ficará ainda maior e poderá usufruir a conveniência”, comenta. Rigoni também está construindo, neste momento, sua casa no Arosa, e pretende brevemente se mudar com a família para o Swiss Park.

“Moramos em um apartamento no Cambuí, mas meus filhos vêm nos fins de semana jogar bola e brincar no residencial; Com 13 e 11 anos, eles não veem a hora de se mudar para o complexo”, diz.

 

Confira na lista abaixo os endereços dos estabelecimentos dentro do complexo Swiss Park Campinas:

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *