18 dez

Disponível aos moradores e visitantes

Disponível aos moradores e visitantes

Cenários naturais no Swiss Park encantam com suas cores, flores, pássaros, árvores e lagos

 

Passear pelo Swiss Park garante cenários únicos.
Há natureza disponível em toda parte, por todo o complexo. Afinal, são um milhão de metros quadrados de área verde destinados aos bosques e ao Parque Botânico Amador Aguiar, abrigado no Swiss Park.

As cores das fl ores, as árvores enormes e de diversas espécies e os pássaros estão disponíveis aos moradores praticamente às portas de suas casas. Os 17 lagos distribuídos pelo empreendimento se destacam e aprimoram ainda mais as paisagens.

Desde que foi lançado, o Swiss Park recebeu mais de 100 mil mudas de árvores nativas, e parte delas complementa os 128 mil metros quadrados de matas ciliares. Há, ainda, as Áreas de Preservação Permanente, conhecidas pela sigla APPs, que são faixas de terreno situadas ao redor de nascentes e olhos d’água e que margeiam os lagos. Tudo completa a tranquilidade e a harmonia da natureza que cerca os residenciais. E tudo cumpre com suas funções ambientais.

Viver perto do verde muda a qualidade de vida. Por isso a natureza é um dos pilares do conceito do Swiss Park. E por
isso o investimento no Parque Botânico Amador Aguiar, abrigado no complexo em uma área de 554 mil metros quadrados de muito verde. O parque foi aberto ao público em 2009. Seu nome é uma homenagem ao conhecido (e já falecido) presidente do Banco Bradesco, antigo proprietário da área onde está o Swiss Park.

No parque, os visitantes podem conhecer mais sobre a flora nativa remanescente de Campinas, que existia na época de seu surgimento e que deu origem ao seu nome.

O local é organizado em minimódulos. De acordo com Dionete Santin, engenheira-agrônoma, doutora em Biologia Vegetal e mestre em Botânica, e responsável por toda a estruturação do projeto no Botânico, são diversas representações, entre elas a vegetação das campinas, plantas arbustivas do cerrado, além de vegetação rupestre dos lajedos rochosos.

NA PORTA DE CASA

O Parque Botânico é focado principalmente na diretriz botânica, despertando interesse, curiosidade, agregados às informações disponibilizadas de uma maneira interativa e agradável. O Botânico frequentemente abriga eventos e possui pistas e trilhas para a prática de atividades físicas. O projeto paisagístico do parque é assinado pelo engenheiro-agrônomo Alexandre Furcolin. O projeto arquitetônico, assinado pela HM&K Projetos e Obras, foi feito de forma que houvesse integração com o meio ambiente e, com mínima intervenção, privilegiou belezas naturais do local.

Toda madeira utilizada na estrutura do parque, desde o portal até as dependências da sede, é de eucalipto tratado e de madeira de mata reflorestada. As portas de acesso do parque são de vidro para o melhor aproveitamento da  iluminação natural. A sede principal, com mais de mil metros quadrados, foi construída em volta de uma figueira centenária com mais de 20 metros de altura, mantendo sua exuberância. A passarela construída próxima da copa da árvore para interligar os andares superiores proporciona uma linda vista aos visitantes.

PAINEIRA-ROSA: SÍMBOLO

Com toda essa natureza, nada mais justo do que o complexo possuir uma árvore-símbolo. Em uma enquete realizada pela Revista Swiss Park em 2011, moradores elegeram a paineira-rosa, com toda sua imponência e graciosidade, para representar o complexo. A enquete propunha seis espécies concorrentes, entre eles a figueira e a embira, mas a paineira-rosa manteve a preferência, certamente pelo visual colorido e ornamental. No Swiss Park há vários exemplares da eleita. Uma delas está no residencial Zermatt e, assim como suas irmãs, presenteia os moradores com sua maravilhosa florada entre os meses de março e abril.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *